E de repente o outono

E de repente o outono

Retratado no tempo

Nas manhãs despidas pelo vento

Entre as folhas amarelecidas

E na chuva que vem espreitar

Os dias que se deixam encurtar.


E de repente o outono

Um novo tempo a acontecer

Gestos que amadurecem o olhar

Vontade acesa de recriar

A estação que a terra vai vivenciar

E que na pele vem pousar.

Abri a porta…

Ao fechar a porta

Recolhi o olhar

Aprisionei as palavras

Senti a solidão entrar,

Consciente de ferir o coração

E de pôr os pensamentos a hibernar

Sacudo o tempo

Salto para a vida,

Dou liberdade aos dias para voar

Guardo o que é bom de guardar

E ao abrir a porta

Sinto o vento a soprar

Até a alma arejar…

Silenciosamente

E de repente o silêncio

O céu despido de asas

O sossego da escuridão

As estrelas que parecem brasas

Ardentes na imensidão.



E neste silêncio

Brindo ao sabor do anoitecer

Com o rosto vestido de luar

Adormeço entre os sonhos

E a luz que me faz despertar.


Silenciosamente

O dia acaba de chegar…

…Entre aromas…

Recolhi os aromas da minha infância

Semeados na cadência do tempo

Com eles soltaram-se os sonhos

Os segredos soletrados às estrelas

A inocência da idade

Que voava nas asas do vento,

Cada dia tinha um sabor

Um novo alento,

E as horas pousavam devagar

Livres,

Dentro do meu olhar

Guardo esta cumplicidade

Com saudade…

…Dar tempo ao dia…

O relógio prendeu-me o corpo

Não acordei com a madrugada

As horas fizeram a sua própria caminhada

Não serei eu a entregar-te a manhã

A minha rotina tão desejada.



Amanhã deitarei as horas no meu regaço

Para não sofrer tal embaraço

Quero iluminar o teu amanhecer

Afastar a fadiga das horas

Dar tempo ao dia para o teu viver.

Feliz Ano Novo

Como se fosse o vento

Como se tivesse asas

Fecho os olhos

Corro,

Voo,

Avanço o tempo

Estendo os braços

Agarro este momento

Para te entregar abraços

Que comigo guardei,

Sabendo que hoje era o dia certo

Abri os olhos e te abracei.


Peço ao vento que transporte a mensagem

Que a faça soar na sua viagem

Feliz Ano Novo

Não sei como te dizer…

lavender-1595608_1280

Não saberei como te dizer
Que o olhar que vês nos meus olhos
São lembranças
Que caem aos molhos
No corpo vestido de saudade
Pelo tempo que costurava as horas
Sem as transportar a todo o vapor
E o olhar respirava a fragrância do dia
Até lhe sentir o sabor.

Não sei bem como te dizer…

… Fio a Fio …

wool-143923_1280

Alinhavo o olhar
Traço o sentido do coração
Costuro as linhas do tempo
Debruo ponto a ponto
O caminho que escolhemos caminhar
Dou cor ao respirar
Como se estivesse a entrelaçar
Fio a fio,
O meu amor ao teu.
Assim nascem as palavras
Agarradas aos sonhos
Que não deixam a vida parar.

 

Abrir a porta ao dia !

wisteria-4911412_960_720

E das tantas vezes que abri a porta
Nunca o dia me atraiçoou com sua cor
Hoje balbuciou a tristeza de uma noite morta
Atingida por um pesadelo preso na dor.

Descortinou o tom acinzentado do céu
Assim que o relógio bateu na madrugada
Depressa estendeu a cor da manhã como um véu
Deu ao dia a rotina por todos nós esperada.

As horas percorriam o mesmo caminho
As cores assentavam no mesmo lugar
O dia ensoalheirou, mas suspirava sozinho
O quanto desejava poder a noite abraçar.

Vestem a cumplicidade de uma amizade
Exposta entre o amanhecer e o anoitecer
Entregam-se sem quebrar a liberdade
De dar aos anos, aos meses e aos dias ser.

Nem sempre o dia é de alegria
Mas felicita-nos com a sua companhia
Todos os dias se abre para o dia!

… Hoje tenho tempo…

notebook-1405305_1280

… Porque hoje tenho tempo
Vou passear o olhar
Naquele livro que arrumei
Sem a leitura findar…

… Porque hoje tenho tempo
Vou sorrir e reviver
A amizade e os momentos bem passados
Naqueles retratos guardados…

… Porque hoje tenho tempo
Vou sentir o respirar das flores
Cuidar dos seus canteiros
Absorver a beleza e os seus odores…

Como hoje tenho tempo
Vou abrir a minha caixa de pandora
Contar-te segredos e histórias
Porque nunca tive tempo até agora…

… Porque hoje tenho tempo
Vou gastar minutos para te telefonar
Escutar os teus desabafos
Sem ter pressa para desligar…

… Porque hoje tenho tempo
Vou abraçar a melodia
Que me faz rodopiar a alma
Me toca e me enche de alegria…

Como hoje tenho tempo
Vou abrir a janela para o sol entrar
Deixar o corpo simplesmente relaxar
Com tempo para este tempo apreciar…