…Entre as minhas mãos…

Estendo as minhas mãos

Pudesse eu desfolhar o mundo

Cruzar o tempo neste caminho profundo

Olhar o mar no horizonte sem fundo.


Embalo os meus sonhos

Sem me deixar cair no adormecer

A vida ensina-me a ganhar e a perder

Soubesse eu sempre acatar este entender.


Entrego palavras à poesia

Como se fossem flores a brotar num jardim

O encanto pelos poetas é terra que não tem fim

Soubesse eu colher o poema certo para mim.

Silenciosamente

E de repente o silêncio

O céu despido de asas

O sossego da escuridão

As estrelas que parecem brasas

Ardentes na imensidão.



E neste silêncio

Brindo ao sabor do anoitecer

Com o rosto vestido de luar

Adormeço entre os sonhos

E a luz que me faz despertar.


Silenciosamente

O dia acaba de chegar…

Sonhar, Amar e Voar…

woman-3795636_960_720

Gosto de sentir o sono chegar
Abro a janela
Para os sonhos poderem entrar
Caminho pela noite dentro
Em histórias que me vêm buscar
Andamos de lugar em lugar
Cúmplices da escuridão,
Desembrulhamos o coração
E as palavras seguem o luar
Despidas e soltas
Como se fossem estrelas
A brilhar de tanto amar…

Estremeço com o amanhecer
Mas o olhar ainda sonha
Fecho a janela
Para o dia não levar os sonhos
Que guardo para te contar
Sinto que a vida passa a voar
Como se fossem estrelas a brilhar…

 

A vida acontece …

knocker-2163643_960_720

A cidade amanhece
O silêncio que a cobria desaparece
Abrem-se as portas
Para mais um dia de memórias
Relato vincado pelos rostos
Que cedo carregam no tempo
O compromisso de vestir a missão
O ofício que preenche o coração.

A cidade amanhece
O azul do céu timidamente aparece
Descobre-se a traça
A fachada que guarda as histórias
O som dos passos madrugadores
Que corajosamente abrem a rotina
A vontade de não perder a construção
Que une o sonho e a razão.

A vida acontece
Em cada olhar que amanhece…

No silêncio da noite

night-2539411_960_720

Habito no silêncio da noite, quando as pálpebras descobrem o adormecer na penumbra do anoitecer.
O sono descansa entre o repouso do corpo e a imaginação dos sonhos que atravessam a luz através da escuridão que bate na vidraça da janela.
Sinto a sombra da lua que dorme mesmo ao meu lado, no aconchego do céu estrelado.
Vagueamos no mesmo vagar e tenho fases em que o meu pensamento se perde algures no seu luar.
Guardo os aromas que colho durante o dia e aguardo o anoitecer para partilhar este respirar.
Contemplo a cumplicidade desta vivência, deixo as palavras soltas pelo céu e sinto o reluzir das estrelas que se unem para apanhar os segredos que escapam do nosso conversar.
Transporto a essência da noite para o silêncio do meu acordar…

Sonhos que sonho

simon-matzinger-492970-unsplash

Perdi a noite dentro de ti
Adormeci o meu corpo no teu
Não sei quantos sonhos vivi
Acordei o teu dia ao lado meu.

Guardei o meu amor dentro de ti
Cobri a minha pele na tua pele
Não sei quantos lugares percorri
Para viver a história deste papel.

Agora que descobri o caminho
Sossego o meu coração
Sonho nessa direção…

Somos o caminho!

bridge-589171_960_720

Neste deserto povoado
Vazio,
Ecoa um silêncio agitado
Encoberto
Por um respirar sobressaltado
E um olhar desbotado
Que se estende na multidão
Carregado de solidão.
Ajustam-se os corpos
Cansados,
Sugados pelas horas
E pelos dias alimentados
Onde a memória se arrasta
Para não perder o caminho
Sendo a vontade de envelhecer
Destino constante de viver.
Somos a pele que nos abraça
Num ritmo que por vezes fracassa
Sem quebrar o rumo
Somos os sonhos que sonhamos
Qualquer a idade que tenhamos!