Fragmentos

Interrompo os pensamentos

Sem saber formatar os sentimentos

Descrevo-me em palavras

Umas vezes certas

Outras tantas desarticuladas

Sou como o sorriso que amanhece

Tímido,

E no ventre do sol espairece

Guardo no dia silêncios

De segredos e conversas caladas

E enfeito-me de gestos

Que se desprendem do coração

Sem serem ensaiados

São olhares acesos

Fragmentos

De mim…

… Tempo …

Quando as palavras não saem

São as lágrimas que caem

Só o silencio me consegue ouvir

E só o coração me pede para não desistir.

Há dias em que o tempo não está para sorrir

Perco o alcance do que tinha alcançado

Procuro-me para me voltar a encontrar

E nesta viagem,

Poemas melhores hão de vir

Acredito que as palavras nem sempre me traem

E o tempo é uma constante

Liberto-me de lugar em lugar.

Abri a porta…

Ao fechar a porta

Recolhi o olhar

Aprisionei as palavras

Senti a solidão entrar,

Consciente de ferir o coração

E de pôr os pensamentos a hibernar

Sacudo o tempo

Salto para a vida,

Dou liberdade aos dias para voar

Guardo o que é bom de guardar

E ao abrir a porta

Sinto o vento a soprar

Até a alma arejar…

…Caminho…

Nem sempre me acompanho

Por vezes o caminho excede o tamanho

Sinto que o tempo me leva e não me traz

Alimento os sonhos sem saber se sou capaz.


Sentido é o olhar que abre a minha alvorada

Silêncio é companheiro na minha jornada

Não temo não ter a certeza de nada

Mas quero ser eu e não viver disfarçada.


E se hoje me sinto desencontrada

Não tarda virá a madrugada

Amanhã estarei de cara lavada…

…O que trago em mim…

Se hoje escrevesse um poema

Escolheria palavras leves

Transparentes e coloridas

Como a alma do autor,

Um poeta madrugador

Vestido de vontade

Conjugando o olhar e o sentir

Expondo-se entre rimas e versos

Com o tempo que deixa fluir…

Nem sempre sei o que trago em mim

Se hoje escrevesse um poema

Começaria certamente assim…

Coordenadas

Se quiseres saber de mim

No rosto trago a essência

O corpo veste-se de aparência

Conservo na idade alguma inocência

E dou por mim a viver assim

Na simplicidade de um olhar

Não muito longe,

Num lugar fácil de encontrar

Estarei com o sol ao amanhecer

E irei com ele ver o mar ao entardecer

Se quiseres saber de mim…

Identidade

Conheço-me

De perto

Tal como sou

Entrego-me

De coração aberto

Sei o que dou,

Habito

Dentro e fora de mim

Traços novos caminhos

Mas sei de onde vim,

Colho na madrugada

Essência que se dissolve assim

Entre o silêncio do corpo

E a inocência das palavras

Cúmplices até ao fim.

… Inspiração …

beach-1597352_1280

Acordei vestida pela manha sem reconhecer a cor que me cobria a pele, perdida no espaço, com o olhar um pouco entorpecido, procuro aconchego no espelho que não me parece ter qualquer empatia nem vontade de me mostrar outro rumo.
Ensaio todas as portas procurando a brisa pura do mar que me é tão familiar.
Abro caminho para tentar avistar a tamanha imensidão azul que me banha o pensamento e me faz arrepiar a alma.
Sinto que não vou a lugar nenhum e esta ausência apenas existe dentro de mim.
Todos os dias o mar amanhece e espalha vida na vida que em nós acontece.
Estarei certa desta dimensão para abrir o meu horizonte em busca de inspiração…

Somos dias…

ryosuke-yamaguchi-496639-unsplash

Mais um dia que amanhece
Vestido com asas
Tanto aparece como desaparece
Com pressa de chegar
Onde a felicidade se deixa apanhar.

Mais um dia que anoitece
Despido ao luar
Tanto adormece como espairece
Com vontade de sonhar
Até encontrar um lugar para pousar.