Interrogações

Interrogo-me constantemente

Ao ponto de não existirem pontos

Nem linhas tecidas em afirmações

Apenas interrogações

Incertezas,

Tendo, porém, consciência

De ter presente tantas emoções

Que dão lustro à minha vivência

Na certeza de me quererem mostrar

Que não passam de contradições…

Partir ou Chegar

Não sei se é tempo de partir ou de chegar

Simplesmente acompanho o horizonte

Seguindo os dias

E hoje subo ao alto da montanha

Na tentativa de arrumar os pensamentos

Disfarçadamente o corpo torna-se leve

E a mente parece uma sombra pintada pelo sol

Crio a ilusão do silêncio ser a única porta

Por onde o corpo possa voltar.

Fragmentos

Interrompo os pensamentos

Sem saber formatar os sentimentos

Descrevo-me em palavras

Umas vezes certas

Outras tantas desarticuladas

Sou como o sorriso que amanhece

Tímido,

E no ventre do sol espairece

Guardo no dia silêncios

De segredos e conversas caladas

E enfeito-me de gestos

Que se desprendem do coração

Sem serem ensaiados

São olhares acesos

Fragmentos

De mim…

… Tempo …

Quando as palavras não saem

São as lágrimas que caem

Só o silencio me consegue ouvir

E só o coração me pede para não desistir.

Há dias em que o tempo não está para sorrir

Perco o alcance do que tinha alcançado

Procuro-me para me voltar a encontrar

E nesta viagem,

Poemas melhores hão de vir

Acredito que as palavras nem sempre me traem

E o tempo é uma constante

Liberto-me de lugar em lugar.

Abri a porta…

Ao fechar a porta

Recolhi o olhar

Aprisionei as palavras

Senti a solidão entrar,

Consciente de ferir o coração

E de pôr os pensamentos a hibernar

Sacudo o tempo

Salto para a vida,

Dou liberdade aos dias para voar

Guardo o que é bom de guardar

E ao abrir a porta

Sinto o vento a soprar

Até a alma arejar…

…Caminho…

Nem sempre me acompanho

Por vezes o caminho excede o tamanho

Sinto que o tempo me leva e não me traz

Alimento os sonhos sem saber se sou capaz.


Sentido é o olhar que abre a minha alvorada

Silêncio é companheiro na minha jornada

Não temo não ter a certeza de nada

Mas quero ser eu e não viver disfarçada.


E se hoje me sinto desencontrada

Não tarda virá a madrugada

Amanhã estarei de cara lavada…

…O que trago em mim…

Se hoje escrevesse um poema

Escolheria palavras leves

Transparentes e coloridas

Como a alma do autor,

Um poeta madrugador

Vestido de vontade

Conjugando o olhar e o sentir

Expondo-se entre rimas e versos

Com o tempo que deixa fluir…

Nem sempre sei o que trago em mim

Se hoje escrevesse um poema

Começaria certamente assim…

Coordenadas

Se quiseres saber de mim

No rosto trago a essência

O corpo veste-se de aparência

Conservo na idade alguma inocência

E dou por mim a viver assim

Na simplicidade de um olhar

Não muito longe,

Num lugar fácil de encontrar

Estarei com o sol ao amanhecer

E irei com ele ver o mar ao entardecer

Se quiseres saber de mim…