…Entre as minhas mãos…

Estendo as minhas mãos

Pudesse eu desfolhar o mundo

Cruzar o tempo neste caminho profundo

Olhar o mar no horizonte sem fundo.


Embalo os meus sonhos

Sem me deixar cair no adormecer

A vida ensina-me a ganhar e a perder

Soubesse eu sempre acatar este entender.


Entrego palavras à poesia

Como se fossem flores a brotar num jardim

O encanto pelos poetas é terra que não tem fim

Soubesse eu colher o poema certo para mim.