E de repente o outono

E de repente o outono

Retratado no tempo

Nas manhãs despidas pelo vento

Entre as folhas amarelecidas

E na chuva que vem espreitar

Os dias que se deixam encurtar.


E de repente o outono

Um novo tempo a acontecer

Gestos que amadurecem o olhar

Vontade acesa de recriar

A estação que a terra vai vivenciar

E que na pele vem pousar.

13 thoughts on “E de repente o outono

  1. Interessante entrar em contato com este poema do hesmisfério sul, enquanto, aqui, saudamos a primavera. Não sei se é uma viagem no tempo ou no espaço, mas certamente foi uma sensaçao de estar em dois lugares ao mesmo tempo. Obrigado pelo passeio!

    Liked by 1 person

  2. Interessante entrar em contato com este poema aqui do hesmisfério sul, enquanto nós saudamos a primavera. Não sei se é uma viagem no tempo ou no espaço, mas certamente foi uma sensação de estar em dois lugares ao mesmo tempo. Obrigado pelo passeio!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.