Soa a Silêncio

Soa a silêncio

A chuva que embala o outono

Folha a folha vai molhando

E os dias desbotando,

Ecoa a sossego

A brisa que na pele vai caindo

E o olhar vai despindo,

Soa a agasalho

O tempo que nos faz amadurecer

A cada estação renascer.

Identidade

Conheço-me

De perto

Tal como sou

Entrego-me

De coração aberto

Sei o que dou,

Habito

Dentro e fora de mim

Traços novos caminhos

Mas sei de onde vim,

Colho na madrugada

Essência que se dissolve assim

Entre o silêncio do corpo

E a inocência das palavras

Cúmplices até ao fim.

…Com um sorriso…

Porque sinto a tua falta

A dor não deixa de doer

O meu olhar entristece por não te ver

E o coração empobrece por não te ter.


Porque é difícil aceitar a perda

A alma sufoca revoltada

O corpo entrega-se a uma fraqueza descontrolada

Vive-se em silêncio numa vida pesada.


Habitarás sempre dentro de mim

A tua memória irá permanecer

O teu sorriso faz o meu não desaparecer

Hoje e sempre és o irmão que não irei esquecer.


…Com um sorriso…

Passo a Passo

A cada passo

Sinto a liberdade das árvores

Invadirem o espaço que é do céu,

O rasgar do vento

Que penetra em cada momento

No agitar da folhagem

Que bate forte no silêncio

Levando e trazendo a aragem

Como se fosse roubar o pensamento.



A cada passo

Piso o chão preso pelas raízes

Que sustentam a altivez do teu corpo

E o meu olhar fica a flutuar

Entre a quietude do azul do céu

E as folhas verdes que o vão enamorar,

Pela distância tudo parece sereno

As árvores continuam crescendo

E o caminho vai-se fazendo.


Passo a Passo…