Um novo olhar…

De mãos vazias

Mas estendidas ao mundo

Vagueia pelas ruas

Um olhar,

Um silêncio vagabundo

Que se mostra clandestino

Perdido na penumbra

Como se andasse sem destino.



 

Temido pelo tempo

Entre um passado vivido

E um futuro talvez esquecido

Este olhar,

Embora um pouco desajeitado

Não é alheio à miragem

De ver o céu estrelado

E de com ele seguir viagem.



 

Um olhar

Que hoje é meu

Amanhã poderá ser o teu

De mãos vazias

Mas abertas a cada acordar

Onde nasce sempre um novo olhar…