Interrogações

Interrogo-me constantemente

Ao ponto de não existirem pontos

Nem linhas tecidas em afirmações

Apenas interrogações

Incertezas,

Tendo, porém, consciência

De ter presente tantas emoções

Que dão lustro à minha vivência

Na certeza de me quererem mostrar

Que não passam de contradições…

…Entre as colinas…

São as cores da terra a tocar o céu

O sol a despir o véu

Para descer a encosta e pintar o vinho

Que lhe dará cor e nome

Enquanto o vento acena os barcos que passeiam no rio

Só os pássaros quebram o silêncio

E o olhar descansa

No corpo que já se deixou embalar

Nesta paisagem que mais parece uma moldura

Que até o pensamento transfigura

No tempo que se sente pausar

Tal é o ponto de pureza

Presente na beleza

Onde nos sentimos repousar

…Douro…

Obrigada, julho!

Querido Julho,

Sei que estás prestes a terminar, mas antes que nos mostres o teu fim, abraço-te com um sorriso e confidencio-te que serás sempre parte de mim. Temos feito o caminho juntos, ano após ano, colhendo na quietude dos afetos a luz que nos ilumina o coração e faz pulsar a beleza da vida.

Obrigada por me ofereceres este dia e me teres acolhido no teu mês.

Hoje vincamos a cumplicidade e recebemos com a felicidade estampada no olhar o quadragésimo sétimo aniversário. É dia de festejar e saborear este presente de vida.

Obrigada, Julho!

Um beijo

Sabias que…

Sabias que…

O meu coração ainda transpira de saudade

E a minha pele bate acelerada

Quando sinto o teu olhar abrir o meu na madrugada


Sabias que….

O meu corpo acorda devagar

Em silencio para ver o teu chegar

Cobrindo-te de amor a cada despertar


Sabias que…

Guardo-te no sossego das palavras

Escrevo o amor em cartas enamoradas

Tantas vezes desfolho letras perfumadas


Sabias que…

Por vezes não caibo em mim

Desnudo-me assim…

Partir ou Chegar

Não sei se é tempo de partir ou de chegar

Simplesmente acompanho o horizonte

Seguindo os dias

E hoje subo ao alto da montanha

Na tentativa de arrumar os pensamentos

Disfarçadamente o corpo torna-se leve

E a mente parece uma sombra pintada pelo sol

Crio a ilusão do silêncio ser a única porta

Por onde o corpo possa voltar.

…Meu doce Junho…

Sentimos o desfilar

De mês a mês a vida encantar

E nesta viagem, junho acaba de chegar

De janela aberta

Para desabrochar os sentidos

E receber o verão que não tarda a entrar.


Junho transporta o poeta e a poesia

Que dá nome ao dia de Portugal

Pelas ruas encontramos a alegria

Dos arraiais e festas populares

O saber manter a tradição

A sardinhada, o vinho e o pão.


Abraço junho de modo especial

Dá vida aos anos de vida da minha mãe

À tranquilidade de mais um aniversário passar

E ter como presente a família a festejar.

Presente

Pousei o amor devagar

Embrulhei-o juntamente com a saudade

Escrevi o endereço para até ti chegar

Dando ao vento a liberdade

De escolher o melhor lugar

Para contigo se encontrar.


O meu peito bate insatisfeito

Desassossega o coração

Ansioso este meu jeito

De querer receber notícias da tua missão.


Desliza na minha pele o amanhecer

E o pensamento parece já não querer colher

Senão o que trazes para me dizer…

Fragmentos

Interrompo os pensamentos

Sem saber formatar os sentimentos

Descrevo-me em palavras

Umas vezes certas

Outras tantas desarticuladas

Sou como o sorriso que amanhece

Tímido,

E no ventre do sol espairece

Guardo no dia silêncios

De segredos e conversas caladas

E enfeito-me de gestos

Que se desprendem do coração

Sem serem ensaiados

São olhares acesos

Fragmentos

De mim…